José Augusto: Das noites europeias ao choque no tanque

ANTIGO AVANÇADO FOI PORTA-ESTANDARTE NA INAUGURAÇÃO DO ESTÁDIO DA LUZ

José Augusto foi o porta-estandarte do Barreirense na inauguração do Estádio da Luz, em 1 de Dezembro de 1954. Tinha apenas 14 anos, e diz que jogar no Benfica não passava então de um "sonho longínquo". "Lembro-me desse dia como se fosse hoje. Foi uma grande manifestação de benfiquismo, e ainda mais para nós, porque já nessa altura o Benfica tinha quase 50% de jogadores do Barreiro."

O antigo extremo-direito do Benfica garante que foi uma das maiores alegrias que viveu na Luz, salvo os jogos de competições europeias. Em concreto, os da Taça dos Campeões Europeus. Seis anos depois da inauguração, José Augusto era jogador do Benfica, concretizando uma ilusão que teve contrapontos, como é inevitável. A morte do companheiro Luciano chegou numa das manhãs mais tristes que José Augusto viveu na Luz. O antigo central benfiquista sucumbiu electrocutado pela máquina de movimentação de águas no tanque do balneário da Luz.

Por perto estavam outros jogadores, e José Augusto fazia a barba em pleno balneário, quando tudo aconteceu. "Jaime Graça é que safou aquilo, porque desligou a ficha eléctrica da máquina. Senão, podia ter sido bem pior", afirmou a antiga glória benfiquista. Dos problemas, e contrariedades, vividos na década de 60, José Augusto destaca a tragédia do tanque como o pior momento que viveu na Luz. Os acidentes vasculares de Augusto Silva e Vítor Martins também estão no topo da lista de desastres.

Contudo, prefere pensar e falar da emoção de percorrer o flanco direito, junto ao Terceiro Anel. "Havia uma adesão enorme das pessoas, naquele tempo. O Terceiro Anel empolgava-me e fazia transcender-me. A Luz foi o estádio mais mítico que existiu em Portugal. Tenho uma grande pena que seja demolido, porque é memorável e inesquecível. Mas também sei que é necessário o estádio novo, para o público voltar ao futebol."

"Não estou de acordo com a construção de tantos estádios, e um estádio municipal para o Benfica e o Sporting não me chocava nada, porque temos de olhar que um país como o nosso não suporta despesas tão grandes", afirmou José Augusto. "Espero que o Benfica possa voltar a ganhar o título neste ano do centenário", concluiu.

Quando o Belenenses estragou a festa de '60

O Benfica, treinado por Bela Guttman, esteve próximo de concluir invicto o campeonato de 1959/60, mas foi contrariado na Luz pelo Belenenses (1--2) na última jornada.

As faixas de campeão estavam encomendadas, mas o Belenenses venceu e os vendedores de produtos desportivos com a marca Benfica tiveram de retirá-los do mercado, por conterem a designação "Benfica campeão invicto".

"Sobre as faixas? Isso foi o que constou, mas garanto-lhe que nunca vi nenhuma com essa inscrição", afirmou José Augusto.

PERFIL DESPORTIVO

NOME: JOSÉ AUGUSTO Pinto de Almeida
NASCIMENTO: Barreiro, em 13 de Abril de 1937
POSIÇÃO: Extremo-direito e Avançado
CAMPEONATO: 8 títulos (59/60, 60/61, 62/63, 63/64, 64/65, 66/67, 67/68 e 68/69)
TAÇA DE PORTUGAL: 3 vitórias (61/62, 63/64 e 68/69)
TAÇA CAMPEÕES EUROPEUS: 2 vitórias (60/61 e 61/62)SELECÇÃO: 45 jogos e 9 golos

In "Record Online"

Imagens

Último vídeo

Fabril - 1 x Barreirense - 2

Fotos Adeptos Lus.Açores - Barreirense (jun)

Próximos eventos

Sem eventos

Últimos comentários

  • Carlos Matos
    Exibição pobre para mim que ...

    Ler mais...

     
  • Rui G
    Qual 1904... até isso roubaram....

    Ler mais...

     
  • Jose
    Apenas um relato de um roubo, muito ...

    Ler mais...

     
  • Paulo S
    Uma vez corruptos, corruptos ...

    Ler mais...

Siga-nos no...

RSS youtube facebook twitter

Contactos - www.fcbarreirense.com